«

»

Mar 09

A arte é um vírus

Em Junho do ano passado “plantei” 17 vírus em Lisboa. Tratou-se de uma exposição em Realidade Aumentada realizada em colaboração com a NextReality e apoio do Turismo de Lisboa.
As 17 esculturas, com uma forma semelhante a alguns vírus e pequenos organismos, foram criadas por um algoritmo generativo.
Na base do projeto esteve a ideia de que a Arte é um vírus e a criatividade artística aspira a tornar-se numa epidemia capaz de infetar muitas pessoas e a sociedade em geral. Perante os eventos recentes pode acrescentar-se uma outra ideia: a arte antecipa a realidade.
LM

Texto do lançamento
17 vírus invadem Lisboa. Mas não causam gripe. São obras de Arte Aumentada criadas pelo artista Leonel Moura com implementação da NextReality.
Nesta exposição pioneira a cidade transforma-se na grande tela da expressão artística do futuro. A virose é tecnológica e o seu efeito nas pessoas ambivalente. Causam, em simultâneo, fascínio e medo pelo que anunciam. Estes vírus são esculturas artificiais, mas também símbolos da transformação da cidade e, em geral, das aceleradas mudanças que se têm vindo a operar na cultura e na civilização humana.
Os 17 vírus estão espalhados por Lisboa e, também, por Sintra, Cascais, Ericeira, Sesimbra e Mafra. São estacionários, podendo ser observados de qualquer ponto de vista, registados em fotos e vídeos e partilhados nas redes sociais.
A aplicação “Lisboa Viral” pode ser descarregada gratuitamente no Google Play ou na Apple Store.