Abr 22

Troufa Real: “Luanda faz parte do património mundial, mas está doente”

Abr 17

Academia Angolana de Letras

Abr 12

Almoço no Embaixador Luanda da Malta do Liceu Salvador Correia

Abr 11

JOSÉ LUÍS MENDONÇA

POSTAL DO KINAXIXI
PEQUENAS COISAS DA VIDA – Kesongo

Dormir em paz e sossego. Ter casa própria. De preferência com quintal, horta e jardim. Ter água e luz 24 horas por dia. Comprar pão quente logo de manhã. Reunir toda a família na mesa do jantar. Molhar um pedaço de pão com manteiga numa caneca de café quente…

PEQUENAS COISAS DA VIDA

Abr 09

Academia Angolana de Letras

Abr 05

Tonecas Tomás vai lançar obra literária em Portugal

O escritor Tonecas Tomás realiza, no dia 4 de Maio, na Casa Macambo, em Lisboa, Portugal, a venda e sessão de autógrafos do livro “Libertação da Consciência Negro-Africana: Gerar Consciência Positiva para uma África Próspera”.
O livro, que já foi lançado no país com o carimbo da Editora Litterae Edições, conta com 117 páginas e está dividido por temas e subtemas actuais sobre a realidade do continente africano.
omás Augusto da Fonseca “Tonecas”, natural da Gabela-Amboim, província do Cuanza-Sul, é filho de Pedro Augusto da Fonseca, enfermeiro, e de Antonica Tomás.
Conta que foi educado por uma mãe solteira com uma sabedoria extraordinária e de um coração simples e honrado. Tal como outros jovens da sua época, foi obrigado a trabalhar desde muito cedo na lavra da mãe, a fabricar kapuca e a produzir óleo de palma para ter o que comer.
No dia 18 de Fevereiro de 2015, o autor entrou no Seminário São José, em Malanje, através do Instituto Religioso, Sociedade Missionária da Boa Nova (SMBN), e fez o Propedêutico, lugar onde descobriu as suas valências para a escrita.

Fonte: Jornal de Angola

Mar 21

“Viver e Escrever em Trânsito”fala de angolanos e portugueses

O projecto Cinéfilos & Literatus, em parceria com a produtora cultural KinoYetu e o Goethe-Institut Angola, realiza amanhã, a partir das 19h00, no Hotel Globo, em Luanda, a exibição do documentário “Viver e Escrever em Trânsito: entre Angola e Portugal”.
O documentário é dirigido pela realizadora alemã Dóris Wieser, pesquisadora e professora da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, em Portugal. A sessão inaugura a mais nova rubrica deste projecto cultural, é denominada “Vida Breve, Arte Longa”.
A organização pretende levar a debate questões levantadas no documentário, acrescendo os temas “Problematização de Temas Diaspóricos na Literatura, Cinema e Artes Visuais” e “Mulheres na Literatura: Angola e a Diáspora”.
O filme “Viver e Escrever em Trânsito: Angola e Portugal”, resulta de uma colectânea de entrevistas a escritoras e escritores cujas vidas têm transitado de diferentes maneiras e em diferentes épocas entre Angola e Portugal, como Ana Paula Tavares, Aida Gomes, Kalaf Epalanga, Raquel Lima, Yara Monteiro e Zetho Cunha Gonçalves.

Fonte: Jornal de Angola

Mar 19

Exposição de artes plásticas promove a cultura angolana

A cidade de Hamburgo, na Alemanha tem patente deste domingo, na Forta Bildungsakademie der Ärztkammer, uma exposição denominada “Angola: Arte, Cultura e Turismo”, que celebra a rica diversidade cultural e destaca o potencial turístico do país.
As obras expostas pertencem à colecção privada de Sandra Sabrowsky que apresentou e deu explicações aos visitantes que tiveram a oportunidade de apreciar o talento de pintores renomados como Álvaro Macieira, Oksana Dias e Ginga Artimista, uma verdadeira homenagem à arte angolana.
A coleccionadora em declarações, ontem, ao Jornal de Angola acrescentou que além da exposição inclui “preciosidades literárias” de escritores angolanos consagrados, como Pepetela, António Agostinho Neto e Uanhenga Xitu.

Fonte: Jornal de Angola

Mar 15

Jornada Nacional das Artes Cénicas acontece na província do Huambo

O Centro Cultural Manuel Rui Monteiro, na província do Huambo, acolhe de 27 a 30 do corrente mês, a Jornada Nacional de Teatro edição 2024, que vai contar com a participação de onze províncias, no quadro das celebrações do Dia Mundial do Teatro, que se assinala a 27 de Março.
O evento, que se vai realizar no auditório da Biblioteca Provincial do Huambo, contará com a participação de 200 actores, vindos de Benguela, Bié, Cuanza-Norte, Luanda, Bengo, Huíla, Lunda-Sul, Cuando Cubango, Cuanza- Norte, Namibe, Zaire e Huambo.

Fonte: Jornal de Angola

Artigos mais antigos «