Dez 05

Camões acolhe festival de curtas-metragens

O Auditório Pepetela do Camões – Centro Cultural Português, em Luanda, vai acolher, hoje, entre às 15h00 e 18h00, o Festival de Curtas-Metragens “NYPSFF”
Nesta edição, o New York Portuguese Short Film Festival (NYPSFF) vai apresentar 10 curtas-metragens divididas entre filmes e documentários de realizadores portugueses.
Em sessão dupla e com entradas gratuitas, no festival vão ser exibido os curtas-metragens “Ana Morphose” de João Rodrigues, “Mudflats” de Luís Campos, “Borderline” de Leonor Rocha Oliveira, Kafka’s Doll de Bruno Simões, they call it… Red cemetery! de Francisco Lacerda, “Chicago” de João Pombeiro, “Extinctions” de Mónica de Almeida, “A Lisbon Affair” de Hoji Fortuna, “Nata of This Life” de Cláudia Sofia Gomes e Ricardo Miguel Soares e “Rua do Caneiro” de Leonor Faria Henriques.

Fonte: Jornal de Angola

Nov 29

Bodas de Ouro “50 anos” de casamento

Parabéns pelo incrível marco de 50 anos juntos! Que esta jornada de amor continue a prosperar com felicidades e momentos inesquecíveis.

São os votos da Fundação Troufa Real-Ukuma

Nov 28

“Os Bantu de Mafrano” será apresentado na Huíla

A presença da escritora moçambicana Paulina Chiziane na capital da Huíla, entre os dias 4 e 6 de Dezembro próximo, vai ser um pretexto para se acelerar a apresentação do Volume II da colectânea “Os Bantu na visão de Mafrano”, no dia 5 de Dezembro, às 17h00, na Missão Católica da Huíla, a 16 quilómetros do Lubango.
Paulina Chiziane, 68 anos, iniciou a sua actividade literária em 1984, com histórias publicadas na imprensa do seu país, muitas das quais sobre assuntos sociais polémicos como é o caso da poligamia em Moçambique e, “grosso modo”, em África. A sua bibliografia inclui outras obras como “Balada de amor ao vento” (1990), “Ventos do apocalipse” (1993), “O Sétimo Juramento” (2000), “O Alegre Canto da Perdiz” (2008) e “As Andorinhas” (2009).
Em 2003, a escritora moçambicana conquistou o prémio José Craveirinha da Literatura, com o romance “Niketche”, e em 2021, tornou-se a primeira mulher a ser distinguida com o Prémio Camões, a mais prestigiosa distinção conferida a escritores de Língua Portuguesa.

Fonte: Jornal de Angola

Nov 27

Apresentação de Condolências

Fernando dos Santos
24.07.1925 – 24.11.2023

A Fundação Troufa Real-Ukuma na pessoa do seu Presidente Troufa Real, ao tomar conhecimento do falecimento de Fernando dos Santos, apresenta as mais profundas condolências à família e a todos os amigos.

Nov 24

José Luís Mendonça

José Luís Mendonça, jornalista, escritor, jurista e docente universitário, nasceu em 24 de Novembro de 1955, no Golungo-Alto, Cuanza-Norte, Angola. Publicou o seu primeiro livro de poemas, Chuva Novembrina, em 1981, que lhe valeu o Prémio Sagrada Esperança. Vencedor em 1990, do Prémio Literário SONANGOL, do Prémio dos Jogos Florais do Caxinde (1997), do Prémio Angola Trinta Anos (2005), do Prémio Nacional de Cultura e Artes(2015), na categoria de Literatura, bem como o Prémio Jardim do Livro Infantil, em 2019. Dos nomes revelados ao longo dos anos 80 na poesia angolana produzida no país, destaca-se pela vitalidade, rigor e continuidade da sua produção. Membro da União de Escritores Angolanos, em linha natural com todos os jovens escritores da denominada “novíssima geração”, a sua produção escrita desponta como reflexo de uma situação histórica demasiado centralizadora e redutora.

Nov 23

Kiluanji Kia Henda e Felix Schumba inauguram exposição em dois espaços

A exposição “Memórias de um Rio Envenenado” de Kiluanji Kia Henda e Felix Schumba será inaugurada, hoje, às 18h00, no Museu de História Natural, e às 19h30, na Jahmek Contemporary Art, na capital do país, com a presença dos artistas
O artista angolano Kiluanji Kiá Henda trabalhou com o colega visual do Zimbabwe, baseado na África do Sul, Felix Schumba. Para executar estas obras inéditas, em vários materiais, tais como desenhos em carvão, murais e instalação, o artista usou técnicas mistas. A exposição é um conjunto de dois núcleos em cada um dos espaços. Um mais ligado à paisagem e outro à fauna.
Nas palavras da activista e artista americana, baseada em Londres, Imani Jacqueline Brown, que faz a curadoria, a exposição “é um caleidoscópio multimídia das memórias de um rio sobre a sua ascensão (e a profetizada queda) do extrativismo”.

Fonte: Jornal de Angola

Nov 22

Antoninho expõe “Aprimores da Alma”

A exposição individual do artista plástico Antoninho, intitulada “Aprimores da Alma”, vai ser inaugurada, hoje, a partir das 18h00, na Galeria Tamar Golan, em Luanda, durante as festividades da Ilha de Luanda.
A actividade vai acontecer no Centro Cultural da Fundação Arte e Cultura e as dez obras do artista plástico vão ficar patentes até ao dia 4 de Dezembro.
“Nesta exposição o artista propõe-nos uma antologia de dez peças, nas quais podemos encontrar as expressividades culturais, vivências, hábitos e costumes de personagens e atitudes, tais como o pescador, a ideologia religiosa expressa de forma surrealista na obra com o título ‘África para onde ides?”’

Fonte: Jornal de Angola

Nov 14

Independência 4.8 Angola

Nov 13

Leonel Moura e IA

22 de Novembro | Pavilhão do Conhecimento | Lisboa

O grande artista do futuro não será humano
14h30 | Auditório
Conferência | Inteligência Artificial e a Arte | Organização APDSI

Workshop IA e Arte
18h00 | Biblioteca
Inscrições aqui

Eles
das 9h00 às 19h00 | Projeção vídeo | Átrio prinicpal

Estamos a testemunhar a emergência de novos seres, alguns semelhantes aos humanos, chamados robots humanoides, outros de espécies e com formas diferentes. Na sua maioria, são entidades mecanizadas, controladas por humanos ou por software, incapazes de tomar decisões ou exibir inteligência avançada.

Com a recente Inteligência Artificial Generativa, a robótica mudará radicalmente. Os robots dotados de IA irão interagir connosco e realizar muitas tarefas, frequentemente, bem melhor do que os humanos.

O vídeo “Eles” é um anúncio do que está prestes a acontecer.

Imagem, música e montagem realizados por IA.

Um excerto pode ser visto aqui

Artigos mais antigos «