Mar 17

Carla Moura dos Santos

Nascida em Benguela, Angola.

A Astrofisica Carla Moura dos Santos faz parte dos Fundadores da UCCA, designado virtulamente pelo nº 005 e é autora do logotipo da UCCA.


Mar 17

UCCA

A UCCA faz parte da Fundação Troufa Real-Ukuma, dedica-se à Astronomia conforme Estatutos e é constituída por um grupo de Cientistas interessados em Astrofisica cujo Mestre é o Presidente da Fundação Troufa Real-Ukuma, José Troufa Real.
A Sede deste Centro é num local deserto na ponta da Ilha do Mussulo, vulgarmente conhecido por “Lingua”, os Astrofísicos são identificados virtualmente por números, começando pelo Mestre 000, Presidente da Fundação Troufa Real-Ukuma.
A Astrofisica Carla Moura dos Santos faz parte dos Fundadores da UCCA, designado virtulamente pelo nº 005 e é autora do logotipo da UCCA.

Mar 16

Halo formado à volta do Sol

Tirada pela Astrofisica Carla Moura dos Santos da UCCA na Ilha do Mussulo em Luanda.

15.03.2020

Mar 12

Arnaldo Santos é homenageado

Arnaldo Santos é homenageado, amanhã, às 17h00, pela União dos Escritores Angolanos (UEA), na sede social da instituição cultural, junto ao Largo das Escolas, em Luanda, por ocasião do 85º aniversário do escritor, que se assinala no sábado.

Fonte: Jornal de Angola

Mar 10

Angolano dá vida a memorial em Lisboa

O projecto “Plantação – Prosperidade e Pesadelo”, do artista Kiluanji Kia Henda, foi o escolhido para a construção de um memorial da escravatura e centro interpretativo junto ao Campo das Cebolas, em Lisboa.

Fonte: Jornal de Angola

Mar 09

A arte é um vírus

Em Junho do ano passado “plantei” 17 vírus em Lisboa. Tratou-se de uma exposição em Realidade Aumentada realizada em colaboração com a NextReality e apoio do Turismo de Lisboa.
As 17 esculturas, com uma forma semelhante a alguns vírus e pequenos organismos, foram criadas por um algoritmo generativo.
Na base do projeto esteve a ideia de que a Arte é um vírus e a criatividade artística aspira a tornar-se numa epidemia capaz de infetar muitas pessoas e a sociedade em geral. Perante os eventos recentes pode acrescentar-se uma outra ideia: a arte antecipa a realidade.
LM

Texto do lançamento
17 vírus invadem Lisboa. Mas não causam gripe. São obras de Arte Aumentada criadas pelo artista Leonel Moura com implementação da NextReality.
Nesta exposição pioneira a cidade transforma-se na grande tela da expressão artística do futuro. A virose é tecnológica e o seu efeito nas pessoas ambivalente. Causam, em simultâneo, fascínio e medo pelo que anunciam. Estes vírus são esculturas artificiais, mas também símbolos da transformação da cidade e, em geral, das aceleradas mudanças que se têm vindo a operar na cultura e na civilização humana.
Os 17 vírus estão espalhados por Lisboa e, também, por Sintra, Cascais, Ericeira, Sesimbra e Mafra. São estacionários, podendo ser observados de qualquer ponto de vista, registados em fotos e vídeos e partilhados nas redes sociais.
A aplicação “Lisboa Viral” pode ser descarregada gratuitamente no Google Play ou na Apple Store.

Mar 06

Jovens angolanos criam plataforma

“Musickool” é o título da nova plataforma digital musical, criada por um grupo de jovens angolanos, com o objectivo de criar um arquivo para maior divulgação da música de autores nacionais.

Fonte: Jornal de Angola

Mar 05

Ngonguita Diogo em festival de poesia no Porto Rico

Ngonguita Diogo, escritora e poetisa angolana, foi convidada para participar no Festival Internacional de Poesia em Porto Rico, de 21 a 27 deste mês.

Ngonguita Diogo, pseudónimo literário de Etelvina da Conceição Alfredo Diogo, é natural do Cuanza-Norte. Tem sete livros publicados e um CD de poemas musicalizados. Foi a única representante do continente africano na VIII jornada internacional de mulheres escritoras em São José do Rio Preto, no Brasil, em 2015.
É membro da Academia de Letras do Brasil Diplomada Imortal em 2015; em 2016 foi diplomada ao “Grau Doutora em Filosofia Univérsica, Honoris Causa, CD 1 em Angola” pela mesma Academia; em 2017 ficou em segundo lugar no concurso de poesias – Elos Internacional com o poema “No Miradouro do Elos”.
Em 2018, a escritora recebeu o Título de Comendadora da Ordem dos Benfeitores Culturais da Humanidade e o Prémio Caneta de Ouro 2018, pela Federação Brasileira dos Académico das Ciências, Letras e Artes, bem como o Diploma de Mérito Cultural; é Membro da União dos Escritores Angolanos; da Liga Africana e do Movimento Lev’Arte Angola.

Fonte: Jornal de Angola

Mar 04

Angola participa na Bienal de Arquitectura de Veneza

“Unfolding Urban Ambiguities: Prédio do Livro” é o título do projecto colaborativo e interdisciplinar que a arquitecta angolana Paula Nascimento à cabeça e os seus parceiros, nomeadamente, Jaime Mesquita, Kiluanji Kia Henda, Iris Chocolate e Ngoi Salucombo levarão à próxima Biennale Architettura2020 (Bienal Internacional de Arquitectura) que decorrerá, em Veneza, de 21 de Maio a 29 de Novembro próximo.

Fonte: Jornal de Angola

Artigos mais antigos «

» Artigos mais recentes