«

»

Jan 18

A “invenção” e a ausente empatia cognitiva

O falecido filósofo ganense Kwame Gyekye (1939-2019) apresentou uma interessante refutação das premisssas subjacentes ao conceito de “invenção” com que operam Kwame Anthony Appiah, seu compatriota, e o democrata-congolês V.Y.Mudimbe, respectivamente, nos seus livros “In My Father’s House” e “The Invention of Africa”. O que está em causa parece ser a ausência de uma empatia cognitiva.
O professor Gyekye distingue os sentidos que Kwame Anthony Appiah e V.Y.Mudimbe associam à “invenção de África”, mas sustentando uma perspectiva que aponta para uma empatia histórica e cognitiva, numa apologia da unidade e da diversidade, à luz dos fundamentos históricos antigos, constitutivos do pensamento africano. Por isso, é de leitura obrigatória o seu livro de que não temos notícia de tradução em português: “An Essay on African Philosophical Thought. The Akan Conceptual Scheme” (Ensaio sobre o Pensamento Filosófico Africano. O Esquema Conceptual Akan).

O falecido filósofo ganense Kwame Gyekye (1939-2019) apresentou uma interessante refutação das premisssas subjacentes ao conceito de “invenção” com que operam Kwame Anthony Appiah, seu compatriota, e o democrata-congolês V.Y.Mudimbe, respectivamente, nos seus livros “In My Father’s House” e “The Invention of Africa”. O que está em causa parece ser a ausência de uma empatia cognitiva.
O professor Gyekye distingue os sentidos que Kwame Anthony Appiah e V.Y.Mudimbe associam à “invenção de África”, mas sustentando uma perspectiva que aponta para uma empatia histórica e cognitiva, numa apologia da unidade e da diversidade, à luz dos fundamentos históricos antigos, constitutivos do pensamento africano. Por isso, é de leitura obrigatória o seu livro de que não temos notícia de tradução em português: “An Essay on African Philosophical Thought. The Akan Conceptual Scheme” (Ensaio sobre o Pensamento Filosófico Africano. O Esquema Conceptual Akan).

O falecido filósofo ganense Kwame Gyekye (1939-2019) apresentou uma interessante refutação das premisssas subjacentes ao conceito de “invenção” com que operam Kwame Anthony Appiah, seu compatriota, e o democrata-congolês V.Y.Mudimbe, respectivamente, nos seus livros “In My Father’s House” e “The Invention of Africa”. O que está em causa parece ser a ausência de uma empatia cognitiva.
O professor Gyekye distingue os sentidos que Kwame Anthony Appiah e V.Y.Mudimbe associam à “invenção de África”, mas sustentando uma perspectiva que aponta para uma empatia histórica e cognitiva, numa apologia da unidade e da diversidade, à luz dos fundamentos históricos antigos, constitutivos do pensamento africano. Por isso, é de leitura obrigatória o seu livro de que não temos notícia de tradução em português: “An Essay on African Philosophical Thought. The Akan Conceptual Scheme” (Ensaio sobre o Pensamento Filosófico Africano. O Esquema Conceptual Akan).

Fonte: Jornal de Angola