«

»

Jan 20

Kiluanji kya Henda leva Largo do Kinaxixi ao Festival de Roterdão

O artista Kiluanji kya Henda desenvolveu, numa residência artística, no Porto, a maqueta do projecto que vai levar ao Festival Internacional de Cinema de Roterdão, em Fevereiro, a partir do Largo de Kinaxixi, em Luanda.
Kya Henda explica que a instalação “Red Light Square – history is a bitch project: Kinaxixi” aproveita as transformações que foram acontecendo neste largo da capital angolana, ao longo dos vários períodos da sua história, para reflectir sobre esse passado, do colonialismo à guerra civil, da paz e da expansão urbana, à ganância e à lavagem de dinheiro, acabando por atingir “uma dimensão universal”, identificável na relação de um povo com o seu espaço público e com a sua memória.

Artista multidisciplinar, que trabalha sobretudo com a fotografia, o vídeo e a performance, Kia Henda tem como marcas do trabalho a reflexão sobre a memória coletiva e os espaços públicos, tendo vencido o Prémio Nacional de Arte e Cultura, do Ministério da Cultura de Angola, em 2012, e o Frieze Artist Award, da feira de arte londrina com o mesmo nome, em 2017.

Já marcou presença na Bienal de São Paulo, foi seleccionados para exposições colectivas no Centre George Pompidou, em Paris, em 2020, na Tate Modern, em Londres, em 2018, e no Guggenheim de Bilbau, em 2015, o mesmo ano em que fez parte de uma mostra no Smithsonian, em Washington, entre outras iniciativas internacionais, na área das artes visuais.
Nas Galerias Municipais da Avenida da Índia, em Lisboa, esteve patente a exposição “Something Happened on the Way to Heaven”, que aborda expectativas de imigrantes, de encontrarem um Paraíso na Europa, (e esse paraíso desvanecer-se) depois de atravessado o Mediterrâneo.

Fonte: Jornal de Angola